Skip to content

PROJETO YORUBA – Operação Josué

SALVADOR / BAHIA / BRASIL

DATA: 22 A 28 DE FEVEREIRO E 01 DE MARÇO/2010 EQUIPE:

  • SETE PESSOAS DO EXTERIOR ————————————- 3

1. Ap. Victor Amosun (Inglaterra) – OWOM

2. Pra Olushola Aladekomo (Nigéria) – NEW COVENANT CHURCH, BASORUN, IBADAN

3. Pr. Samson Ajibodu (Nigéria – foi de avião direto para Salvador) – DISCIPLE ALL NATIONS MINISTRIES, ASHI, IBADAN

QUATRO PESSOAS FAMÍLIA MORGAN ————————— 4

4. Olukayode Morgan
5. Folayemi Morgan
6. Oluwasemikun Morgan
7. Oluwadarasimi Morgan

  • TRÊS PESSOAS MIMBI´S ———————————————- 3

8. Bp. Davidson Cordeiro – Executivo MIMBI´S
9. Pr. José Maria Félix – CB´SI Industrial – Contagem/MG
10. Pr. Alexandre Medeiros – CB´SI Lindéia – BH/MG

  • REPRESENTANTE DO CE´S —————————————— 1

11. Bpa Sandra Rocha – Executiva Nacional CB´SI

  • · MOTORISTAS ————————————————————– 2

12. Edmar Miranda
13. João Morais

TOTAL ——————————————————- 13 (treze).

DIA AÇÃO
23/02 SAÍDA BH Às 7h15’ entrei na VAN da BH Turismo, empresa contratada para nos conduzir a Salvador/BA (contrato em anexo), na entrada de Ibirité e juntamente com o motorista 1, Edmar Miranda, nos dirigimos para a casa dos discípulos membros da CB´Shalom Matriz, Elcio e Rosinha, no Condomínio Quintas da Jangada – Sarzedo, onde o Ap. Victor Amosun, Pastora Olushola Aladekomo e a família Morgan estavam hospedados desde o domingo. De lá saímos às 8h25’ e a pedido do Ap. Victor fizemos uma rápida visita ao meu pai que está acamado se recuperando de uma cirurgia na coluna. 9h35’ – demos início a nossa jornada rumo ao Baixão, norte de Minas, onde chegamos após percorrer 544,8 Km, sendo recepcionados pelo Miss. Ferreirinha às 20h. Participamos de uma reunião onde foi apresentada a Equipe, com todos tendo a oportunidade de saudar os presentes (havia cerca de 18 pessoas entre adultos e crianças e a medida que o tempo avançava o local foi totalmente tomado). Depois fomos para a casa do Miss. Ferreirinha onde nos foi servido um delicioso jantar. A Equipe foi distribuída em casas para repousarmos e retomar a viagem na manhã seguinte.
24/02 6h – Após despertamos, tomamos café e retomamos a viagem rumo a Salvador. Percorremos mais 967,6 Km, chegando a Salvador/BA ás 0h50’ do dia 25/02, recepcionados pelo Pr. Elias Collona (JOCUM Salvador), que nos conduziu até a Casa Resgate onde estivemos hospedados.
25/02 Despertamos logo cedo e após o café, realizamos uma reunião para acertar detalhes, desta participaram Bp. Davidson, Bispa Sandra, Ap. Victor Amosun e depois Pr. Elias, com a Missionária Yemi auxiliando na tradução. Logo após os demais integrantes se juntaram a nós e foi apresentado o plano de ação que seria realizado. 14h30’ – saímos em direção ao Bairro da Liberdade, considerado local de maior concentração negra fora da África. O nome Liberdade foi dado em homenagem ao caminho da liberdade, independência da Bahia, celebrada em 02 de julho, um grande desfile acontece todos os anos nas principais ruas da região. A influência da África na região vai além da presença de negros, existe uma praça com um busto do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela. Nesta mesma praça ao norte de Salavdor, existe um bonde que liga a Cidade Alta e a Cidade Baixa, divisão geográfica da cidade. Este bonde é chamado de plano inclinado Liberdade, uma linha moderna com rodas de pneu sob dois trilhos construídos em concreto que abriu em 1981, e que liga o bairro Liberdade (em cima) ao bairro Calçada (abaixo). Estivemos em ambos realizando o mapeamento proposto, coletando informações. Na Calçada constatamos ser uma região de hotéis, que são utilizados para a prostituição, muito movimentado, comércio intenso. Na Calçada a principal avenida é a Nilo Peçanha, local onde pude conversar com o Sr. Valdir, um comerciante autônomo que fica na esquina vendendo água e balas, ele é morador do bairro Fazenda Grande Retiro,  acerca de 30 minutos de ônibus caso o transito esteja bom, o que quase nunca acontece. O soteropolitano (como são chamados os naturais de Salvador) Jackson, trabalha em uma lanchonete vizinha a um dos hotéis da região e o mesmo nos informou que nos finais de semana a movimentação de casais no local é intensa devido ao baixo custo cobrados por algumas horas de utilização dos quartos. Tive ainda a oportunidade conversar com um carioca (nascido na cidade do Rio de Janeiro) chamado Vilson, que trabalha em uma loja de instrumentos musicais, ele já morou em Belo Horizonte, mas a três anos se mudou para Salvador por causa da violência na região onde morava em BH. Voltando para a Liberdade pelo Bonde do Plano Inclinado, tive a oportunidade de conversar com o Sr. Gesse, 60 anos, aposentado, que vive amarrado ao vício da bebida alcoólica. Não tem encontrado nada melhor para fazer, enquanto evangelizamos aconteceu algo inusitado, pois o mesmo tinha em suas mãos uma garrafa com cachaça e PR estar interessado no que dizíamos soltou a garrafa e colocou sobre um carro que estava estacionado ao lado, sem percebermos alguém levou a garrafa. Dirigimo-nos a Ladeira do Curuzu, também chamado de Corredor Cultural da Liberdade, nele se encontra a Senzala do Barro Preto, sede do Ilê Aiyê (http://www.ileaiye.org.br/), onde fomos recebidos por pessoas que não se mostraram muito simpáticas a apresentar as dependências, quando já estavamos saindo encontramos um senhor que se identificou como Macalé e este sim nos acompanhou por quase toda estrutura de oito andares do local, por mais de duas horas. O edifício foi construído com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Social e do Ministério da Cultura e ainda com patrocínio de diversas empresas. O ilê Aiye é primeiro bloco afro da Bahia, foi fundado em 1º de novembro de 1974. Desde de sua fundação o bloco vem homenageando os países, nações e culturas africanos e as revoltas negras brasileiras que contribuíram fortemente para o processo de fortalecimento da identidade étnica e da auto-estima do negro brasileiro, tornando populares os temas da história africana vinculando-os com a história do negro no Brasil, construindo um mesmo passado, uma linha histórica da negritude. Além disto estão envolvidos em projetos para difundir a cultura e em projetos educacionais, mantêm aulas de ensino fundamental na Sede. Voltamos para banho e depois nos dirigimos para a Base de treinamento da JOCUM no bairro Cassanges, onde participamos de um culto com os alunos-missionários. Como não poderia deixar de ser a ênfase da reunião foi a cultura africana e depois de um louvor ministrado em altíssimo nível ao ritmo afro-baiano, apresentei O Projeto Yoruba e a Equipe da Operação Josué. Quando achávamos que já iria terminar o Pr. Elias convidou o Ap. Victor para fazer uma oração e na direção do Espírito Santo, o que se seguiu foi um mover maravilhoso de ministrações proféticas. Ao término retornamos para a Casa Resgate, mas antes compramos pizzas, que compartilhamos antes de deitar.
26/02 Após o café, demos início ao devocional matinal, onde a Bispa Sandra ministrou uma reflexão bíblica – Is.6:1-6 Visão de Deus; Tivemos um período de cânticos liderados pela Yemi e depois um de período de intercessão, cada um teve a oportunidade de falar da experiência do dia anterior. Saímos para dar continuidade ao mapeamento às 10h, estivemos na Igreja do Bonfim, fundada em 1754, local onde na segunda quinta-feira depois do Dia de Reis (06 de janeiro), duas religiões se unem para um ritual religioso em comum – a lavagem da escada da Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, no bairro Bonfim, em Salvador. A Lavagem das Escadarias do Bonfim é considerada a segunda maior manifestação popular da Bahia, perdendo apenas para o carnaval. Nesse dia, o festejo começa às 10 da manhã, quando os participantes se concentram em frente à Igreja da Conceição da Praia para dar início a uma caminhada de 8 km até a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim. O cortejo é comandado por baianas em trajes típicos (turbantes, saias engomadas, braceletes e colares) que carregam vasos com água de cheiro. Atrás delas vem o bloco Filhos de Gandhi e uma multidão de fiéis. Todos se vestem de branco, que é a cor de Oxalá, o deus Yorubá sincretizado com Senhor do Bonfim, católicos e adeptos do candomblé percorrem juntos o trecho cantando hinos de adoração às duas principais divindades de cada crença, Jesus Cristo e Oxalá, o centro do ritual, a escada, tem apenas 10 degraus, em torno dos quais cerca de 1(um) milhão de pessoas se reúne anualmente. Dentro do templo acontecia uma missa, enquanto centenas de turistas nadavam pelas salas e na praça em frente “pais de santo” davam ‘passes’, além de dezenas de “fiteiros” que ofereciam (gratuitamente ou não) as “Fitas do Senhor do Bonfim”, utilizadas segundo a crença para fazer três pedidos e depois ser amarrada nas grades ou para amarrar no punho. Diz ainda a crença que uma fita do Senhor do Bonfim atada em torno do pulso, com três nós que representam três pedidos, e quando a fita soltar do seu braço, os três pedidos serão realizados. Depois nos deslocamos para a Humaitá, próximo à Base do Exército Brasileiro, este é o local de onde no dia 02 de fevereiro, parte a procissão de Iemanjá (Nossa Senhora dos Navegantes). Realizada a 86 anos, surgiu com um grupo de 25 pescadores que em momento de dificuldades, de poucos peixes, invocou Iemanjá e conseguiu dela a retribuição em forma de fartura. A festa segue até o finalzinho da tarde em Salvador. Há muitos presentes para a “rainha do mar”, são 300 cestos ou balaios recheados com tudo o que Iemanjá gosta de ganhar: flores, brinquedos, laços de fitas e muita maquiagem, segundo os seguidores do candomblé, o orixá é bastante vaidoso. Pudemos constatar vários destes cestos as margens, junto as pedras. Para ganharmos tempo não almoçamos na JOCUM e sim em um restaurante. À tarde nos dirigimos ao Largo Terreiro de Jesus, principal ponto turístico da cidade, onde tivemos oportunidade de encontrar pessoas de diversos países. Um dos jovens que conversamos foi o Antonio jogador de capoeira, responsável para conversar com os turistas informando que para tirar fotos com eles é necessário dar uma contribuição em dinheiro, o rapaz aprendeu a falar inglês na rua segundo ele. Existem outros que tiveram a mesma escola. Descendo pelo Elevador Lacerda fomos até ao Mercado Modelo, hoje um local de comércio artesanal. Nos tempos da escravidão a parte de baixo do Mercado era utilizada para alojar os escravos que chegavam da África. Detalhe este espaço fica abaixo do nível do mar, hoje aterrado, com plataformas sobre as águas e iluminação artificial é usado para o turismo. Ficamos ali por alguns minutos em oração… É muito abafado e tive a sensação de ouvir pedidos de socorro. Retornamos para a JOCUM e após o jantar o tivemos o devocional noturno. Iniciado às 21h tivemos a palavra da Bispa Sandra sobre o que ela entende como importante para o Projeto Yoruba: o casal estar trabalhando com pessoas da cultura o que já constatamos que existem muitos em Salvador. Impressões de cada um acerca do exercício do dia
27/02 Após o café devocional matinal nos dirigimos ao Pelourinho, onde tivemos um tempo de intercessão pela ladeira e depois fomos para Casa da Nigéria, onde tivemos uma bela recepção por parte dos representantes desta que é mantida pelo governo nigeriano. Tivemos a informação que uma tentativa de implantação de Igreja da Cultura Yoruba já aconteceu, com um pastor chamado Emanuel, infelizmente não foi adiante. Depois do almoço fomos para o Bairro Engenho Velho da Federação, logo na entrada encontramos saindo de um terreiro, uma comitiva de ônibus que mais tarde reencontramos na praia da Casa de Iemanjá onde se preparavam para lançar ao mar uma oferenda a Iemanjá. O local é considerado o lugar mais perigoso da cidade, possui grandes terreiros de candomblé, e pelo fato de atividades sociais alguns recebem recursos públicos. Não nos foi dada autorização de conhecer as dependências do maior, mas informações foram coletadas. Retornamos para a JOCUM e a noite tivemos outro abençoado devocional.desafios que foram lançados: Programar vigílias, campanhas com o propósito de orar pela seqüência do Projeto.
28/02 Na realização de nosso devocional matinal o Pr. Samson, ministrou uma reflexão bíblica. Na sequencia todos tiveram a oportunidade de fazer uma rápida avaliação de nossa estadia em Salvador. Estivemos orando uns pelos outros, com a oportunidade de confessar nossos pecados e pedir perdão uns aos outros. Após o almoço parte da equipe foi caminhar pela orla, outros permaneceram na Casa e outros foram andar pelo bairro. 17h30’ – Nos dirigimos para a Igreja Batista do Salvador, bairro Pero Vaz, Pr. Félix, onde participamos do culto. Louvor, ofertório e apresentamos a Equipe, com todos saudando brevemente os presentes. Ministramos dois cânticos em Yoruba e Português (Oluwadara e Baba), o Ap. Victor Amosun ministrou a mensagem: “This is my hope: MARANATA – Esta é a minha esperança: MARANATA” – I João 3:1-3. A reunião se encerrou logo após a celebração da Santa Ceia às 20h30’ e por volta das 21h iniciamos o retorno para BH.
01/03 Chegamos em BH às 21h.

Calculo de Horas e Quilometragem (baseados no velocímetro da Van)

DATA HORA INICIAL HORA FINAL TOTAL HORAS KM INICIAL KM FINAL SOMA KM
23/02 7h 20h 13 76.673 77.217,8 544,8
24/02 6h 0h50’ 18h50’ 77.217,8 78.185,4 967,6
25/02 14h30’ 23h45’ 9h15’ 78.185,4 78.246,7 61,3
26/02 10h 20h 10h 78.246,7 78.323,4 76,6
27/02 10h 17h 7h 78.323,4 78.373,3 49,9
28/02 17h30’ 78.373,3
01/03 21h 27h30 79.764,2 1.390,9

TOTAL

85h35’ 3.091,1

Bp. Davidson Cordeiro

Diretor Executivo Missão MIMBI´S

31 7816-7743 / 3384-0952 / 8816-0148

Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. josé maria félix permalink
    março 10, 2010 11:32 am

    essa experiencia, ou exercicio espiritual nas palavras do Apostolo victor Amosun, me fez sentir um josué….

    parecia muito com os relatos da BIBLIA SOBRE a terra de canaã e os espias. conseguimos muita informação sobre os deuses da terra, sua beleza e seu povo. fomos guiados e guardados pelo nosso Deus, da mesma forma que aconteceu com JOSUÉ, calebe e os outros espias.
    Louvo ao Senhor pelos intercessores, ofertantes.
    Louvo também por Ele me incluir nessa jornada de missões!
    Pr. José Maria Félix

    • mimbis permalink*
      março 20, 2010 10:59 am

      Shalom!
      Continue acessando nosso blog e participando conosco dos desafios missionários.
      Obrigado por sua contribuição.

  2. março 11, 2010 11:03 am

    Foi muito bom a presença dosm irmãos, em nossa comunidade, o BAIXÃO. Foi ricamente abençoado, com a presença da equipe [ caravana ], todos os que compareceram ficam muito impactados com a presença dos irmãos.
    estamos aguardando a vinda dos irmãos, para a INAUGURAÇÃO DO TEMPLO NO BAIXÃO.
    Abraços, saudades Pastor Ferreirinha.
    Missão Norte de Minas.
    Fone. 031. 9781.8041 = 038. 91654257. = 038 8416 5367.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: